Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

Portuguese English Spanish

Opções de acessibilidade

Página inicial > Periódicos > Escotilha do Comandante > Curso de Operação da Viatura Blindada de Combate de Infantaria (VBCI) Marder 1 A3 do Centro de Entrenamiento de Combate Acorazado (CECOMBAC)
Início do conteúdo da página

Curso de Operação da Viatura Blindada de Combate de Infantaria (VBCI) Marder 1 A3 do Centro de Entrenamiento de Combate Acorazado (CECOMBAC)

Acessos: 265

 

 

Figura 1: Seção de VBCI Marder 1 A3–Exército do Chile
Fonte: GALANTE, 2012
 

Introdução Marder

 O Curso de Operação da VBCI Marder 1 A3 ocorre no Centro de Entrenamiento de Combate Acorazado (CECOMBAC), do Exército do Chile, sediado na cidade de Iquique. O CECOMBAC tem a missão de apoiar a formação, a capacitação e o adestramento de militares e de Unidades que integram as Brigadas Acorazadas do Exército Chileno, através de um processo realista baseado em situações táticas e técnicas, segundo padrões institucionais. Tem-se por base, ali, o apoio da simulação, que atua como uma ferramenta utilizada para adestrar e averiguar se as capacidades de seus combatentes estão condizentes para o emprego real de seus modernos equipamentos.

Com a chegada da Marder, houve uma verdadeira revolução no emprego da Infantaria Blindada, porque essa VBC Fuz representa um poderoso e moderno Veículo Blindado de Combate de Infantaria, proporcionando um grande poder de fogo, boa velocidade, bom alcance de suas armas, excelente blindagem e capacidade de combate noturno. Com isso, possibilita-se ataques em profundidade com boas perspectivas de êxito a posições defensivas.

Marder, em Alemão, é o nome que se dá às martas, mamíferos parentes das doninhas e dos furões. Os blindados fabricados naquele país geralmente têm nomes de predadores (Tiger, Panther, Leopard, Guepard etc.).

Figura 2: VBCI Marder 1 A3 e o CC Leopard 2 A4
Fonte: GALANTE, 2012
 

O curso

O Curso de Operação da VBC Fuz Marder 1 A3 está dividido na fase de Educação a Distância (EaD) e na fase presencial. O modelo de formação do curso é muito parecido com o adotado pelo Centro de Instrução de Blindados (CI Bld).

A fase EaD desse curso tem a duração de quatro semanas. Os alunos trabalham em uma plataforma on line, gerenciada por um Centro de Educação a Distância, onde os instrutores podem gerenciar suas disciplinas, trabalhos pedidos e avaliações. Nessa plataforma, a equipe de instrução pode acompanhar e controlar o número de acessos realizados pelos alunos, podendo-se gerar relatório personalizado.

Já a fase presencial possui a duração de oito semanas e é desenvolvida no CECOMBAC. Durante essa fase, são abordados os seguintes assuntos sobre a VBC Fuz: doutrina e conceitos gerais sobre a viatura, operação dos sistemas, teoria e técnica de tiro, tiro real (realizado no polígono de tiro no deserto) e manutenção a cargo da guarnição.

 

A Torre da VBC Fuz Marder 1 A3

A torre da Marder possui uma tripulação de dois militares: comandante e atirador, cabendo a este a operação do Sistema de Armas. Cabe ressaltar que o comandante também possui equipamentos que possibilitam a ele a operação da torre, tendo, também, prioridade sobre os comandos do atirador.

Figura 3: Torre VBC Fuz Marder 1 A3
Fonte: CHILE, 2011
 

Tiro real da VBC Fuz Marder 1A3

A técnica de tiro empregada pelo Exército Chileno no emprego da Marder 1 A3 é muito semelhante com a técnica empregada na operação do Sistema de Armas do Carro de Combate Leopard 1 A5 BR, Sistema de Armas Remotamente Controlado Remax e UT30BR.

O tiro real do curso de operação é realizado no polígono de tiro da cidade de Pozo Almonte, onde se encontra a 2ª Brigada Acorazada "Cazadores". O polígono de tiro encontra-se no deserto do Atacama, tendo como limite a Cordilheira dos Andes, o que torna mais seguro o adestramento do tiro real de vários calibres.

Portanto, durante o curso de operação, o aluno compreende que a natureza da VBC Fuz Marder 1 A3 está relacionada com a grande mobilidade e potência de fogo apresentadas pelo blindado, que atua de forma a romper as defesas inimigas, utilizando-se de manobras ofensivas, o que o torna um excelente meio para o emprego da Infantaria Blindada. Com isso, cabe ressaltar da importância da aquisição de uma Viatura Blindada de Fuzileiros (VBCFuz), para a Infantaria brasileira.

Figura 4: Tiro real com a VBC Fuz Marder 1 A3
Fonte: Arquivo pessoal
 
AÇO, BOINA PRETA, BRASIL!
 
 
 

Pablo de Borba Calegari – 1° Sgt Cav
Monitor do CI Bld
Daniel Bernardi Annes – Cel
Comandante do CI Bld

 

 

Referências:

 

CHILE. Ejército. División Doctrina. CDO–2011: Operación Carro Marder. Iquique, 2011.

GALANTE, Alexandre. Marder e Leopard 2A4 do Chile. Forças Terrestres. 11 mar. 2012. Disponível em: https://www.forte.jor.br/2012/03/11/marder-e-leopard-2a4-do-chile/. Acesso em 21 mar. 2023.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página